segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Grandes autores: Sidney Sheldon

Em abril de 1985, Sidney Sheldon desembarcou no Brasil para o lançamento de "Se houver amanhã", e participou de uma noite de autógrafos em São Paulo e outra no Rio de Janeiro, cenário dos capítulos finais desse romance e que serve de refúgio à personagem central do livro, um escroque audacioso e simpático. Cercado por uma intensa campanha publicitária, Sheldon verificou seu enorme prestígio diante do público brasileiro.



Milionário e famoso, Sidney Sheldon jamais abandonou sua rotina de trabalho, ditando cerca de cinquenta laudas por dia à sua secretária. Apesar desse ritmo intenso, Sheldon levava cerca de três anos para escrever um romance, desde a pesquisa da história e as personagens até a entrega dos originais para o editor.
Filho de Otto Sheldon, um vendedor, e Natalie Sheldon, Sidney nasceu em Chicago, Ilinois, no dia 11 de fevereiro de 1917. Terminou o curso secundário em 1935 e logo depois ingressou na Universidade de Northwestern, em Evanston, no Ilinois. Para sobreviver aos duros anos da depressão, teve de abandonar os estudos para trabalhar como vendedor de sapatos, locutor de rádio e empregado de hotel. Por essa época compunha músicas, e uma delas, "My silent self", era uma das mais solicitadas nos salões do Bismarck Hotel, na sua cidade, onde trabalhava como contínuo. 



Sonhando ser um compositor famoso, seguiu para Nova York em 1936, mas seis meses de frustração foram suficientes para que decidisse abandonar a música e resolvesse tentar a sorte em Hollywood, como leitor e adaptador de obras literárias para o cinema. Aos 17 anos, adaptou o romance "Ratos e homens", de John Steinbeck, e foi contratado pela Universal, iniciando assim uma longa e bem-sucedida ligação com o mundo do cinema. Ao todo, trabalhou em trinta filmes como roteirista, diretor e produtor.
Mas, apesar do sucesso, Sheldon quis tentar conquistar o público de teatro, supostamente mais exigente. No final dos anos 50, estava na Broadway, onde encenou oito peças, conhecendo tanto o sucesso com "Rodhead" - que ganhou o prêmio Tonny de melhor musical e permaneceu dois anos em cartaz - quanto o fracasso de "Roman Candle", que não passou de cinco dias em cena. Da Broadway, foi para o ainda novo universo da televisão, e pelo menos três, dos mais de duzentos roteiros que criou, estão na memória de milhões de telespectadores e na programação de muitos canais de tevê até hoje: "The Party Duke Show" (uma comédia acerca de uma típica família de classe média americana), "Jeannie é um gênio" e "Casal 20".
Assim como já havia utilizado a experiência do teatro para fazer televisão, o inquieto Sheldon soube aproveitar seu conhecimento dos meios de comunicação de massa para criar enredos literários que conquistassem um amplo público. Em 1970, aos 53 anos de idade, publicava seu primeiro romance, "A outra face", que dosava admiravelmente os ingredientes que compõem os best sellers,
Casado desde 1951 com a ex-atriz Jorja Curtwright, Sidney Sheldon vendeu mais de 300 milhões de livros em todo o mundo. É o único escritor que recebeu quatro dos mais cobiçados prêmios da indústria cultural americana: o Oscar (cinema), o Emmy (tv), o Tony (teatro) e o Edgar (literatura) de suspense. É atualmente o autor mais traduzido em todo o planeta, cujos romances foram vendidos em 51 idiomas e distribuídos em 180 países.
Mesmo não sendo um escritor elogiado pelos críticos, Sheldon se orgulhava da autenticidade das suas obras, uma vez que essas eram escritas segundo experiências vividas pelo autor.
Sheldon, um dos escritores mais produtivos da literatura americana contemporânea, morreu no dia 30 de janeiro de 2007, em Los Angeles, aos 89 anos, devido a complicações causadas por uma pneumonia



Livros de Sidney Sheldon disponíveis na Biblioteca Municipal "Professor Sebas" para empréstimo:


- O reverso da medalha
- Os doze mandamentos
- Se houver amanhã
- Um capricho dos deuses
- Um estranho no espelho
- O fantasma da meia-noite
- O plano perfeito
- Conte-me os seus sonhos
- O céu está caindo
- A herdeira
- A ira dos anjos
- A outra face
- A perseguição
- As areias do tempo
- Corridas pela herança
- Escrito nas estrelas
- Juízo final
- Lembranças da meia-noite
- Manhã, tarde e noite
- Nada dura para sempre
- Outro lado da meia-noite
- Quem tem medo do escuro?
- O outro lado de mim

Nenhum comentário:

Postar um comentário